segunda-feira, 10 de abril de 2017

Ora pois, fraudaram o bacalhau?

Imagem Divulgação

“Como a terra, o mar contém em sua vastidão tanto um reino da fauna quanto da flora. Com criaturas comestíveis grandes e pequenas, além de inúmeras variedades de algas, os jardins marinhos há muito são fontes essenciais de alimentos. As belas colheitas do oceano de alimentos altamente nutritivos servem povos costeiros e animais do mundo inteiro desde que a escrita foi inventada e muito antes disso. Apesar de a terra fornecer a maior parte da nossa alimentação, os mares cobrem aproximadamente 72% da superfície terrestre. Esses vastos corpos de água compartilham muitas das mesmas propriedades químicas e biológicas presentes na porção líquida do nosso sangue. O ambiente salgado e alcalino do oceano vive dentro de nós, no nosso sistema circulatório. Os oceanos da Terra representam o sangue e o sistema circulatório do planeta, e a grande variedade de alimentos presentes nessas águas exercem uma influência profunda no oceano interno do homem(nosso sangue) e no seu relacionamento com nossa saúde e bem estar” Steve Gagné


Peixes possuem cerca de 20% em sua composição de proteína de ótima qualidade, rica em aminoácidos não essenciais, isto é, que não são produzidos pelo organismo. É uma carne com baixo teor de gordura e o tipo predominante é a poliinsaturada. A porcentagem de lipídios (gorduras) da maioria dos peixes encontra-se entre 0,2 a 23,7%. Essa quantidade varia de acordo com a espécie, sexo, idade, tipo de alimentação, estação do ano (verão ou inverno) entre outros fatores.Os peixes de carne clara como, por exemplo, bacalhau, badejo, corvina, carpa, dourado, garoupa, linguado, pescada; apresentam menor quantidade de lipídio que os de carne escura como, por exemplo, atum, anchova, arenque, bagre, cavala, sardinha, salmão, tainha.Possuem também doses de vitaminas A,D e E, além de niacina e ácido pantotênico, sódio, magnésio, cálcio, manganês, ferro e potássio.

Peixes, Mitos e Fraudes 

Ultimamente, voltou a circular na internet seguinte mensagem(tudo indica de 2008)“Cuidado, Peixe Panga faz mal para saúde”O que acho interessante nessas ‘notícias’ são o exagero em desinformações.Primeiro, o que é, como é, de onde vem, qual estudo, qual fonte e comprovado por quem?

Peixe Panga – é cultivado há mais de mil anos no Rio Mekong, no Vietnã, um dos maiores rios do mundo, localizado no sudeste asiático. Há muitos anos, é exportado para mais de 240 nações, entre elas os Estados Unidos, todos os países da Comunidade Européia, Japão, Rússia, Austrália, entre outros. Só este fato bastaria para atestar sua qualidade e segurança para o consumidor. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) do Brasil realizou uma série de análises nesta espécie, com o objetivo de confirmar a alta qualidade do produto, que foi aprovado sem restrições. Ele pode fazer mal? Sim, como qualquer alimento que não for bem preparado ou vier de locais com procedência duvidosa. Ele pode ter bactérias?  Listeria monocytogenes  é uma bactéria que poderá marcar presença neste pescado ( capaz de provocar doenças, como meningite) essa bactéria na forma de bacilos pequenos, anaeróbios facultativos e Gram positivos, que podem aparecer isolado ou agrupados em pares ou cadeias curtas. A espécie foi isolada de diversas fontes ambientais, bem como de fezes de mamíferos, aves, peixes e insetos. Estima-se que até 5% das pessoas normais sejam portadoras desta bactéria nas fezes. No entanto, as principais fontes do micro organismo provavelmente são o solo e a matéria vegetal em decomposição.Nos Estados Unidos, cerca de 2 500 infecções ocorrem anualmente, no entanto este número pode ser muito maior, já que algumas infecções leves sequer são relatadas. A listeriose humana tem picos de incidência nos meses mais quentes do ano. Vários casos epidêmicos foram associados ao consumo de alimentos contaminados, tais como leite, requeijão, carne e derivados (como frios fatiados e salsichas de peru).

Ainda falando em contaminação, precisamos ter cuidado com anisakíase que é o termo usado geralmente para nomear a forma aguda de doenças parasíticas no trato gastrointestinal dos seres humanos. A doença manifesta-se usualmente por cólicas abdominais e vômitos, resultando da ingestão de peixes do mar crus ou mal cozidos contaminados com a larva.Na América do Norte, a anisakíase é diagnosticada mais frequentemente quando o indivíduo afetado sente formigamento ou cócegas na garganta e quando os vermes saem com a tosse ou são extraídos manualmente. Agente etiológico – nematódios larvais da família Anisakinae, gênero Anisakis e Pseudoterranova. O Anisakis simplex (vermes do arenque), Pseudoterranova decipiens (Phocanema, Terranova) (verme do bacalhau ou da foca), Contracaecum spp., e Hysterothylacium (Thynnascaris) spp. são anisakideos, nematelmintos (vermes redondos) que têm sido implicados em infecções humanas causadas pelo consumo frutos do mar crus ou mal cozidos.
Ocorrência – menos de 10 casos de anisakíase são diagnosticados nos EUA anualmente. É muito comum no Japão devido aos sushis e sashimis, também comum na Holanda, na Escandinávia e na costa do Pacífico da América Latina. No Brasil não há notificação de casos, embora existam estudos mostrando a existência de peixes contaminados como o dourado, anchova, pargo e peixe-espada na costa brasileira, especialmente no litoral nordeste. Também há relatos de bacalhau importado contaminado analisado pelo Instituto Adolfo Lutz nos anos de 1997 e 1998 confira um trabalho orientado pelo Instituto neste link. Em resumo, essa doença é transmitida por peixes e marisco crus, mal cozidos, em condições higiênico sanitárias duvidosas, insuficientemente congelados ou mal preparados, e sua incidência deve aumentar com a popularidade crescente de restaurantes de sushis e sashimis. 


Se for comer bacalhau, escolha com atenção:
O verdadeiro bacalhau: é largo e permite corte em lombos. O rabo do peixe: deve ser quase reto ou ligeiramente curvado para dentro e de cor uniforme. Se tiver uma espécie de “bordado” branco na extremidade, não é o legítimo. O bacalhau de verdade é cor palha e a pele solta com facilidade. Os verdadeiros são: Gadus mohrua(bacalhau do Porto);Gadus macrocephalus e Gadus ogac. Espécies como Ling, Zarbo ou Saithe, são peixes salgados.
Estudo sobre presença anisakis em peixes 

Metilmercurio em Peixes

UNESP Listeria monocytogenes

Proteste

Infecção Parasitária em Pescados
Share:

0 comentários:

Postar um comentário